VARIÁVEIS DENDROMÉTRICAS DO MIOMBO E DAS PLANTAÇÕES EXÓTICAS, UMA ABORDAGEM PARA A RECUPERAÇÃO DO MIOMBO DEGRADADO


LINO MANUEL VICENTE SANGUMBE ; DAVID MANDE MÁRIO .

RESUMO
A perda do Miombo está associada a crescente pressão exercida pelo homem, com a finalidade de se obter lenha e certas matérias para a construção de residências rústicas, bem como a produção insustentável de carvão. O presente estudo tem o objectivo de propor a recuperação das áreas degradadas do Miombo angolano com espécies exóticas (Eucalyptus sp e Pinus sp). Mediante um inventário florestal, se conhecerão as características dendrométricas do Miombo e das plantações exóticas e seguidamente se comparará seus volumes obtidos desde as variáveis dendrométricas e se estabelecerá uma relação entre a idade e o incremento volumétrico ao longo do crescimento de ambas formações florestais. Os principais resultados mostraram que a formação do Miombo apresentou uma densidade de 5,6 plantas/m2, enquanto as plantações de Pinus e Eucalyptus apresentaram densidades de 2 plantas/m2 e 2,4 plantas/m2. Na formação do Miombo predominou árvores com a classe diamétrica situada entre 0 e 10 cm, enquanto na plantação de Eucalyptus e Pinus foi a situada entre 30 e 40 cm. A classe de altura de árvores maiores de 20 metros e menores ou iguais a 30 metros foi a que predominou na plantação de Pinus. Nas plantações de Eucalyptus predominou a classe de árvores maiores de 30 metros e menores ou iguais a 40 metros. O volume da plantação de Eucalyptus 99,62% maior que na formação de Miombo e 21,17% maior que na de Pinus.
Palavras-Chave: Miombo, recuperação, plantações exóticas, Eucalyptus e Pinus.

ABSTRACT
The loss of Miombo is associated with the increasing pressure exerted by man, in order to obtain firewood and certain materials for the construction of rustic residences, as well as the unsustainable production of coal. The present study aims to propose the recovery of degraded areas of the Angolan Miombo with exotic species (Eucalyptus sp and Pinus sp). Through a forest inventory, the dendrometric characteristics of Miombo and exotic plantations will be known, and then their volumes obtained from the dendrometric variables will be compared and a relationship will be established between age and the volumetric increase over the growth of both forest formations. The main results showed that the Miombo formation showed a density of 5.6 plants / m2, while the Pinus and Eucalyptus plantations showed densities of 2 plants / m2 and 2.4 plants / m2. In the formation of the Miombo, trees with a diametric class between 0 and 10 cm predominated, while in the Eucalyptus and Pinus plantation it was between 30 and 40 cm. The height class of trees over 20 meters and less than or equal to 30 meters was the one that predominated in the Pinus plantation. In the Eucalyptus plantations, the class of trees larger than 30 meters and smaller or equal to 40 meters predominated. The volume of the Eucalyptus plantation is 99.62% greater than in the Miombo formation and 21.17% greater than in the Pinus.
Key words: Miombo, recovery, exotic plantations, Eucalyptus and Pinus.

INTRODUÇÃO
Há muito se reconhece a natureza singular dos ecossistemas das florestas. Estes desempenham papéis múltiplos nos níveis globais e locais: prestam serviços ambientais à natureza em geral e aos seres humanos em particular e são fontes de produtos economicamente valiosos como: Madeira, lenha, produtos florestais não-madeireiros como fibras, alimentos e remédios, conservação da água e do solo, purificação da água e do ar, reciclagem de nutrientes, manutenção da diversidade biológica (habitats, espécies e recursos genéticos), mitigação das mudanças climáticas, sequestro de carbono, emprego e renda, recreação, proteção do patrimônio natural e cultural (AfDB, 2017).
A perda de florestas está estreitamente ligada à expansão demográfica e à conversão de áreas florestais para outros usos. Algumas das maiores causas da degradação florestal acarretada por seres humanos são a extração excessiva de madeira para fins industriais, de lenha e de outros produtos florestais, e o excesso de pastagem. As causas subjacentes incluem a pobreza, o crescimento populacional, os mercados e o comércio de produtos florestais, além das políticas macroeconômicas. As florestas são também susceptíveis a factores naturais, como pragas de insectos, doenças, incêndios e fenômenos climáticos extremos (FAO, 2001b).
Uma série de avaliações sobre as alterações na cobertura florestal foi realizada nos últimos trinta anos (FAO, 2001a; FAO, 2001b; UNEP, 2013). Embora essas avaliações difiram em suas definições sobre cobertura florestal, metodologia e resultados específicos, fazendo com que comparações detalhadas não sejam confiáveis, todas reforçam uma visão geral de diminuição de áreas florestais e degradação contínua dos ecossistemas florestais.
Comportamento similar tem ocorrido no maior tipo de floresta natural de Angola, o Miombo, que segundo Campbell et al. (1996); Sanfilippo (2014) denota uma ou mais espécies do gênero Brachystegia, Julbernardia, e Isoberlina como sendo as mais abundantes da região.
Do ponto de vista económico, o Miombo é a fonte da maior parte das espécies madeireiras nativas comerciais de exportação tais como Pterocarpus angolensis, Millettia stuhlmannii. Do ponto de vista ambiental, desempenha um papel crucial para o balanço de carbono, água e energia. No entanto, a integridade deste ecossistema está permanentemente ameaçada devido à acção do clima, do homem e dos animais (Maquias et al. 2012).
Conforme as variações topográficas e fisiográficas, a estrutura e composição do Miombo são modificadas pelo clima, solo e altitude, distinguindo-se de uma região para outra. A vegetação é dominada por árvores de folha larga sem espinho, da subfamília Caesalpiniodeae, enquanto a vegetação herbácea é dominada por espécies da família Andropogoneae. O estrato arbustivo é geralmente ausente e descontínuo. Uma das características principais de Miombo é a sua aparente uniformidade em vastas regiões, devido a fisionomia semelhante das espécies dominantes da subfamília Caesalpiniodeae (Pereira, 2002).
As árvores no Miombo apresentam um sistema radicular bem desenvolvido com raízes profundas e muitas raízes laterais, permitindo-lhes capturar os nutrientes lixiviados das camadas superiores do solo. Muitos nutrientes são devolvidos ao solo através da perda de folhas e decomposição das mesmas. Estes processos que envolvem a retirada de nutrientes do solo, a produção de húmus e a decomposição são provavelmente a base para a produção sustentada no ecossistema de Miombo apesar da baixa fertilidade dos solos. A produção primária das florestas do Miombo é directamente relacionada com a disponibilidade de água e restringida pela disponibilidade de nutrientes (Pereira, 2002; Sanfilippo, 2014).
A crescente pressão exercida pelo homem à floresta do Miombo com a finalidade de obter lenha e certas matérias-primas para a construção de residências rústicas, a produção não sustentável de carvão, são factores que contribuíram grandemente para a degradação de várias zonas do Miombo. O presente estudo tem como objectivo de determinar as variáveis dendrométricas do Miombo e das plantações exóticas (Eucalyptus e Pinus), numa visão de recuperação das zonas que anteriormente foram Miombo.
leer artículo completo

No comments yet»

Responder

Introduce tus datos o haz clic en un icono para iniciar sesión:

Logo de WordPress.com

Estás comentando usando tu cuenta de WordPress.com. Cerrar sesión /  Cambiar )

Google photo

Estás comentando usando tu cuenta de Google. Cerrar sesión /  Cambiar )

Imagen de Twitter

Estás comentando usando tu cuenta de Twitter. Cerrar sesión /  Cambiar )

Foto de Facebook

Estás comentando usando tu cuenta de Facebook. Cerrar sesión /  Cambiar )

Conectando a %s

A %d blogueros les gusta esto: